Fevereiro não vai chegar. Ao menos para o melhor Carnaval em linha reta do mundo, que alterna entre o sobe e desce das ladeiras de Olinda, o saudosismo do Bairro do Recife e a tradição dos papangus de Bezerros, entre tantos outros simbolismos que faz da Folia de Momo um habitat de orgulho para quem é ou passa pela ‘Terra dos Altos Coqueiros’.

Mas ao contraponto do vazio da época, (re)leituras de ocupação de espaços e, sobretudo, de sentimentos aflorados, são bem-vindos, tais quais as que serão explorados nesta sexta-feira (15) pelo grupo pernambucano Estesia, que inova na interpretação do refrão clássico “Chorando e Cantando”, leia-se: “Quando Fevereiro Chegar”, trecho da composição de Geraldo Azevedo e Fausto Nilo e que dá nome ao single disponibilizado nas plataformas digitais, com transmissão ao vivo pelo Instagram do projeto, às 17h, direto do Bairro do Recife.

O lançamento, acompanhado de intervenções que seguem pelo rio Capibaribe com projeções de luz e laser na vegetação, nas pontes e moradias, traz nos vocais a cantora, compositora e poeta Nina Oliveira, voz lampejante no documentário “AmarElo”, de Emicida, recém-lançado pela Netflix. A artista vai interagir em live, diretamente de São Paulo, com Carlos Filho, integrante do Estesia. Cleison Ramos, Miguel Mendes e Tom BC completam o grupo e estarão a postos nas interferências artísticas nas ruas.

Continue lendo em Folha de Pernambuco

Powered by WPeMatico

%d blogueiros gostam disto: