[ad_1]

Indústria catarinense vai implantar Centro de Distribuição em Bezerros

Indústria catarinense vai implantar Centro de Distribuição em Bezerros

Mais um empreendimento desembarca em Pernambuco. A Santa Luzia, indústria de molduras e artefatos voltados para a construção civil, arquitetura e decoração, está iniciando a operação no estado. A empresa, que tem sede em Santa Catarina, iniciou o projeto pernambucano com a operação de um Centro de Distribuição (CD) em Bezerros, o que representa um investimento de R$ 1 milhão. Para o próximo ano, os planos incluem a construção de uma fábrica, a segunda no país. A empresa prefere ainda estudar o valor que será destinado a esta segunda etapa. Com o início da operação da unidade fabril, devem ser gerados 500 empregos.

“Iniciamos as negociações há dois anos. A ideia era construir a fábrica junto com o centro de distribuição. Com o momento econômico desfavorável, dividimos o projeto em dois. Começamos a operar o centro que levará produtos para o Norte e Nordeste do país. No próximo ano, daremos o start na fábrica”, explica o diretor da Santa Luzia, Gilberto Luiz Zanette. Em Santa Catarina, a empresa iniciou a operação em 1942, com uma pequena indústria de espelhos. Com o novo CD, o grupo espera ampliar em 100% a presença nas duas regiões.

De acordo com Zanette, a indústria tem como principal matéria prima o EPS (sigla do Poliestireno Expandido – conhecido no Brasil como isopor). Por isso, antes de iniciar a operação da fábrica é preciso montar uma cadeia de fornecedores. “Estamos em contato com catadores e cooperativas que irão realizar a coleta desses produtos. A matéria-prima existe, mas hoje ela está no lixo. Então, junto com a operação do CD, iniciamos a procura por fornecedores. Vamos iniciar a captação desse produto de agora. Queremos ter essa cadeia montada quanto antes.”

Os produtos estocados em Pernambuco atenderão à demanda dos estados do Norte e Nordeste. Toda a distribuição será realizada por via rodoviária em uma frota própria de caminhões. Quando a operação pernambucana estiver 100%, a empresa não descarta a realização das entregas por cabotagem. “O Porto de Suape nos dá essa alternativa, mas ainda estamos estudando a viabilidade.” A expectativa é de que a maturação do projeto, quando a capacidade produtiva da unidade atingir nível máximo, se dê em três anos.

A operação do CD está em funcionamento em um terreno próprio. No mesmo local será construída a fábrica. As obras devem ter duração de pelo menos um ano. O projeto foi incluído no Programa de Desenvolvimento do estado de Pernambuco (Prodepe), que garante incentivos fiscais de até 95% de desconto no crédito presumido do ICMS.

Diário de PE

[ad_2]

Fonte: Bezerros Agora / Clique aqui e veja essa e outras notícias.

%d blogueiros gostam disto: