Na manhã desta sexta-feira (06) foi montada uma operação policial envolvendo policiais civis da Delegacia de Bezerros que contaram com o apoio de policiais civis que estavam de plantão em Caruaru e policiais da equipe Malhas da Lei, que foram ao bairro Porta Florada na cidade de Gravatá para dar cumprimento a um Mandado de Prisão Preventiva, tido como Alvo Prioritário da Secretaria de Defesa Social, onde prenderam, Alex Francisco Gonçalves, vulgo “Lequinho” de 22 anos.

O criminoso estava sendo procurado por ter participado do latrocínio do Cabo Teófilo da Polícia Militar que foi morto no dia 27 de julho desse ano, na ocasião também mataram um vigilante que tentou socorrer o polucial em Gravatá e de tentar matar o policial civil Roberto Ferreira Mendes, que mora no Recife e voltava da Delegacia de Panelas onde trabalhava e na manhã do dia 26 de junho desse ano, após o bairro Encruzilhada de São João em Bezerros parou o carro para urinar e foi abordado pelos bandidos que o balearam na cabeça e levaram a sua pistola.

Quando os policiais foram dar cumprimento a esse mandado de prisão a esposa do “Lequinho” foi presa em flagrante ao esconder nas vestes um revólver do marido e num quartinho nos fundos do imóvel foi preso portando um quilo e meio de maconha, Edgar Jefferson da Silva.

Policiais da Delegacia de Goiana cumpriram outro Mandado de Prisão Preventiva e prenderam um outro comparsa do “Lequinho”, Luan Carlos Santos de Lima, que também participou do latrocínio do policial militar em Gravatá.

O delegado de Bezerros Dr. Higor Nogueira, que comandou a operação, disse que as investigação já haviam identificado o “Lequinho” e o Luan há três meses, que eles integram uma perigosa quadrilha que vinha cometendo vários assaltos na BR 232 no trecho entre Caruaru e Gravatá, que está identificando os outros integrantes dessa quadrilha e é questão de tempo para que eles sejam tirados de circulação.

O “Lequinho”, a esposa e o Edgar foram levados para a Delegacia de Bezerros, onde o Edgar foi autuado em flagrante por tráfico e foi levado para o presídio de Vitória de Santo Antão com o “Lequinho” já a esposa do “Lequinho” foi autuada em flagrante por posse ilegal de arma de fogo, pagou fiança e foi liberada. O Luan Carlos foi recolhido pela equipe da Delegacia de Goiana ao sistema prisional.

Na Mira da Notícia

Powered by WPeMatico

%d blogueiros gostam disto: