Há uma emoção que toca a alma, uma alegria interior inexplicável para aqueles que compreendem a dádiva de se estender aos outros. Você não tem que limitar seus passos, seus vôos, não deve temer estender a mão, não precisa conter sorrisos, emoções, desejos, nem podar seus sonhos, só porque o mundo ao seu redor por parte de alguns evidencia conflitos, mesquinheza, injustiças, covardia e inveja. Você não tem que se encolher e esconder suas emoções e benevolência só porque o mundo ao seu redor não corresponde as suas expectativas da maneira que você gostaria. As pessoas se distinguem uma das outras por inúmeras diferenças, especialmente pela bondade ou maldade que distribuem ao longo de seu percurso e de seus atos, mas o fato é que não podemos nos basear em cada um, e então nos limitarmos a só dar migalhas de nós mesmos aos outros, por causa das decepções, sofrimentos e problemas que já passamos. Dedicar-se aos outros é um ato incondicional, extensivo, restaurador, e deve ser cotidiano, constante, pois é sublime conseguir modificar o dia de alguém. Distribuir sorrisos, abraços, atenção, palavras, um gesto, um aperto de mão, uma atitude providencial, faz a diferença nas relações cotidianas, e até pode mudar a vida de alguém. O mínimo que você faz por uma pessoa às vezes pode ser o máximo que esse alguém já recebeu de outra pessoa. A emoção e a satisfação que você recebe pela dedicação aos outros, é sem dúvida um sentimento divino, inexplicável, é um agrado que você faz à sí e a Deus, e só quem se permite sabe. Portanto permita-se, estenda-se, e sinta a emoção do abraço, não do mundo mas de Deus, afinal estender-se aos outros é simplesmente a vivência do natal.

A palavra para hoje é DOAÇÃO.

(Mariana Helena de Jesus)@marianahelenadejesuswww.marianahelenadejesus.blogspot.com.br

Powered by WPeMatico

%d blogueiros gostam disto: