[ad_1]

05Depois de muitos anos vividos, e depois de algum tempo conhecendo muito mais do ser humano, aprendemos com as decepções, e com a ingratidão alheia, que a maioria de nossas “desilusões” é resultante dos atos dos outros. Muitos de nossos “sofrimentos” foram frutos das atitudes egoístas e invejosas, da soberba e da falsidade, e da frieza e da desumanidade advindas de muitas pessoas que cruzaram o nosso caminho. Algumas nos magoaram, nos traíram, outras nos feriram, deixaram cicatrizes, e quando mais precisávamos, ou quando menos esperávamos, elas nos negaram ajuda, ou simplesmente ficaram indiferente às nossas necessidades, e houve ainda, muitas que quando nos viram caindo ou enfraquecendo, silenciosamente foram embora. Mas, apesar das decepções nas nossas relações, das brigas, dos perdões, das limitações e diferenças de cada pessoa, sempre existe um “grupo” que “permanece junto” com a gente, algumas às vezes se encontram distantes geograficamente ou por falta de tempo, mas na “hora” em que tudo dar errado, no “momento” em que o mundo parece nos virar as costas, quando um grande “problema” nos atormenta, ou quando uma “enfermidade” inesperada nos atinge, é justamente esse “grupo” de “laços sanguíneos” ou de “laços do coração”, que “chega junto”, que se “esforça” pela gente, que “estende” a mão, que nos “aquece” com o coração, que vai tentar nos fazer “levantar”, e que vai nos “aceitar” seja de que forma for. Diante dessa dádiva da “união”, a gente percebe a extraordinária “presença de Deus”, e o “propósito” de sua ação, em ter “escolhido” as “pessoas certas” para pertencerem ao nosso elo de “parentesco”, e ao nosso grupo de “amigos verdadeiros” que consideramos como irmãos. E por isso, é tão importante e necessário que algumas vezes “reflitamos” sobre como estamos “também” nos “dedicando” e “valorizando” essas pessoas.
A palavra para hoje é FAMÍLIA.

[ad_2]

Fonte: Bezerros Hoje / Clique aqui e veja essa e outras notícias.

%d blogueiros gostam disto: